Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

Jungle Power investe 10 milhões de euros em Lousada

 

 

Presidente da Câmara visita fábrica de produção de pellets

 

Na passada semana, o Presidente da Câmara de Lousada, Dr. Jorge Magalhães, acompanhado pelo Presidente da Junta de Freguesia de Lustosa e demais executivo, visitou a indústria Jungle Power, que se dedica à produção de pellets.

A visita foi conduzida pelo sócio maioritário da Gesfinu, holdfing proprietária da firma, Eng.º Lima Rebelo, e ainda pelo responsável da Fábrica de Lustosa, Eng.º Jorge Monteiro.

A laborar desde Janeiro deste ano, esta unidade designada de “Jungle Power” implicou um investimento aproximado de 10 milhões de euros e a sua produção tem como destino a exportação, em especial para os países da Europa do Norte.

A Jungle Power produz, como valor máximo, cerca de 15 toneladas de pellets por hora, operando 24 horas por dia, sete dias por semana.

Todo o processo de produção é monitorizado, sendo de imediato detectada qualquer anomalia, ao mesmo tempo, que a empresa possui a certificação internacional, designada de CGS (Certificado de Gerenciamento de Segurança).

 

0% de emissões de CO2

As pellets produzidas servem de matéria-prima para a produção de energia juntamente com o carvão, sendo em grande parte direccionadas para as centrais de produção. Assim, cada pellet produzida possui um conjunto de características definidas à priori, sob um controle rigoroso e uma fiscalização contínua, onde as emissões de CO2 para a atmosfera são inexistentes.

O fumo que saí da enorme chaminé da Jungle Power contém O% de CO2, sendo libertado para a atmosfera somente vapor de água.

Esta unidade é pioneira em Portugal e a holding Gesfinu possui mais duas fábricas em Portugal, uma localizada em Mortágua, com a designação”Pellets Power”, cuja actividade se iniciou no mês passado e ainda outra unidade em Alcácer, “Pellets PowerII”, cuja laboração está prevista para final deste ano.

De acordo com o Eng.º Lima Ribeiro, “o know-how da Jungle Power foi importado da Dinamarca e os técnicos frequentaram acções de formação específicas no estrangeiro. Esta unidade é muitas vezes visitada por técnicos estrangeiros e, a nível mundial, somos um dos maiores produtores de pellets”.

A escolha da localização no concelho de Lousada obedeceu a um estudo de viabilidade rigoroso e, para o Eng.º Lima Rebelo, “a excelente rede de acessibilidades, associada a uma proximidade com o mar e à existência de matéria-prima foram os factores decisivos”.

 

Procura ultrapassa produção da Jungle Power

A produção destina-se na totalidade à exportação, escoada através de navios, com capacidade para três ou cinco mil toneladas, e a procura ultrapassa já a totalidade do produzido.

Para o Presidente da Câmara de Lousada, Dr. Jorge Magalhães, “o impacto da Jungle Power no concelho não se traduz somente no volume do investimento realizado e nos postos de trabalho que criou. A rede de fornecedores e de prestadores de serviços que criaram permite a sustentabilidade de um número significativo de outras pequenas e médias empresas locais”.

Da matéria-prima utilizada na produção destaca-se a madeira de segunda escolha, restos d emadeira sem contaminantes ou vernizes, e ainda desperdícios produzidos pelas serralharias locais, como o serrim, que servem para aquecer a fornalha.

Assim, a madeira inicial é destroçada e, através de crivos e moinhos, a sua volumetria é diminuída. Segue-se a secagem, com passagem por um secador gigante, onde a alta temperatura permite a diminuição da humidade. Na fornalha, aquecida com biomassa, as pellets ganham forma.

As 15 toneladas produzidas, no máximo, por hora são depois levadas para o Porto de Aveiro, em transportes próprios, demorando cerca de 15 minutos a abastecer um camião com 25 toneladas. As pellets ficam em dois armazéns para depois serem carregadas para os barcos que as levam às centrais de produção de energia alternativa.

Na holding Gesfinu actua na área do ambiente e água, com forte aposta nas energias renováveis. Assim, possui em Portugal e no estrangeiro parques eólicos, mini-hidricas e ainda se dedica à reciclagem de óleos usados.

A eficiência energética é o lema da empresa que reconhece a importância da valorização e conservação ambiental, tendo em vista a optimização dos serviços, a Gesfinu participa com frequência em feiras e exposições internacionais, estando a programar presença, em Outubro, numa Feira em Espanha e, no próximo ano, na Suécia.