Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

"O Rei Imaginário" na Casa da Cultura de Paredes

 

O mundo divide-se entre o bem e o mal. É assim. Simples, não?

O Teles sempre achou que era assim mesmo. Ele, um homem da lei, defensor da justiça e da moral, um magistrado do Ministério Público... como qualquer mortal caiu nas malhas do crime, daqueles de colarinho branco, um daqueles em que, supostamente, ninguém tem um preço a pagar...
Agora, na cadeia grita desalmadamente – Abram a porta! Eu sou o Teles, o Teles...
- Perderam a chave – responde-lhe uma voz estranha.
De miséria em miséria acabou por pedir esmola e depois... depois... meteram-no na prisão. Agora, resta a vergonha, agora resta o sonho, é ele que o aguenta ali. O sonho é modo de resistência. O Teles caminha por entre memórias e revoltas, misérias e sonhos. Por isso ele sonha que é rei, rei absoluto...

Hoje, o Teles é outro homem... agora é que ele deveria ser juiz mas, agora ele é apenas o Teles... o 938... aquele que julgaria apenas segundo outro fantasma que está ao seu lado, segundo outro homem que tem encontrado em si e nos outros... ele é o Teles... o 938... o Rei Imaginário.

                      

                                                                                                                     Gabinete de Comunicação da

                                                                                                                    Câmara Municipal de Paredes