Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

Centro Arqueoambiental nasce em Lustosa - Lousada

 

Projecto concluído em 2009
 
A Câmara de Lousada está a desenvolver um projecto no âmbito da Arqueologia denominado “Centro Arqueoambiental da Serra dos Campelos: estudo e valorização da Necrópole Megalítica” (CASC), inserido na Necrópole Megalítica da Serra dos Campelos.
As escavações arqueológicas, que compreendem a escavação de quatro mamoas e dois penedos com arte rupestre e que vão decorrer até ao próximo ano, integram-se num processo mais amplo de reconhecimento concreto da potencialidade arqueológica que ainda hoje subsiste no local.
O processo, iniciado em 2005, compreende quatro etapas, das quais duas já se encontram concretizadas. A primeira, centrada na prospecção arqueológica e consequente avaliação de contextos arqueológicos, conduziu à descoberta de um conjunto de 15 penedos com gravuras rupestres datados da Pré-História recente à Idade Média. A segunda fixou-se no acompanhamento de obras, respeitantes à primeira fase do Loteamento Industrial de Lousada e eixo viário de ligação da Vila de Lousada à Estrada Municipal 562. Os trabalhos de escavação arqueológica que estão a ser efectuados reportam-se à terceira etapa de todo este decurso e entendem-se como o mote para o trabalho de preparação e divulgação do sítio arqueológico, que vai decorrer durante o biénio 2008/09, para que este se torne fruível pela população, nomeadamente através da limpeza, vedação e colocação de painéis informativos em todas as mamoas existentes da necrópole.
Em paralelo foi assinado um protocolo com a Escola Profissional de Arqueologia que se constitui como ponto de apoio e simultaneamente de troca de experiências tendentes a uma sensibilização e divulgação do sítio arqueológico.
 
Mamoas na Serra dos Campelos
As mamoas existentes na Serra dos Campelos caracterizam-se pelas suas reduzidas dimensões, pela variabilidade de tipologias e reportam-se muito provavelmente a finais do Período Neolítico, correspondendo a sua índole funerária a enterramentos colectivos. Todo o esforço de escavação arqueológica previsto pelo projecto foi canalizado para o núcleo constituído pelos quatro monumentos funerários mais destruídos da necrópole, incidindo, para já, em exclusivo na mamoa 12.
Até ao momento, e na recta final da escavação do espaço correspondente à implantação desse monumento, constata-se a ausência de qualquer indício concreto, a nível estrutural, da mamoa em si. Esta conclusão é reforçada pela vasta área aberta, cerca de 108 metros quadrados, e pela descoberta de rasgos artificiais de grande extensão e de similar distância entre si, preservados ao nível da rocha de base, dando conta da passagem de maquinaria de apoio ao plantio de eucaliptos ou qualquer outra prática agrícola que terá contribuído para o arrasamento definitivo do monumento. A escavação tem revelado a existência de algum espólio, quer ao nível de fragmentos cerâmicos, quer ao nível de material lítico talhado em sílex atestando toda a ambiência Pré-Histórica que o local teria tido.
O projecto CASC vai ser terminado após a implementação de uma série de iniciativas, como a criação de uma rede de percursos pedestres arqueoambientais, a preparação e edição de um conjunto de brochuras e panfletos temáticos, a elaboração de materiais audiovisuais pedagógicos, a realização de sessões públicas de esclarecimento e a realização de uma exposição itinerante. Uma outra iniciativa é relativa à publicação de artigos científicos, como base de apoio ao futuro Centro Arqueoambiental da Serra dos Campelos que vai funcionar, em última instância, como pólo aglutinador de memórias dispersas pela Serra dos Campelos, através da criação de exposições interactivas permanentes e/ou temporárias, de um espaço museológico e de espaços destinados à arqueologia experimental, correspondendo à quarta e última etapa do projecto.
O Vereador do pelouro da Arqueologia, Prof. Eduardo Vilar, aquando visitou o local destacando o facto de “a autarquia estar a realizar um trabalho extraordinário, que vai enriquecer o concelho. Com a edificação deste Centro Arqueoambiental vai ser criado um espaço museológico, que vai permitir o desenvolvimento de diversas actividades, com especial destaque para as exposições”. 
No decorrer deste ano e no final do projecto, os resultados vão ser apresentados em congressos científicos nacionais e publicados em revistas de âmbito nacional e também numa monografia que vai compilar todo o projecto.
Gabinete de Imprensa
Câmara Municipal de Lousada