Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

CESPU e UTAD querem autorização para leccionar Medicina

 

“Não é necessário investir em recursos humanos e em infra-estruturas, porque já existem”
A CESPU – Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) apresentaram uma candidatura ao Ministério do Ensino Superior para leccionarem, numa parceria público-privada, o Mestrado Integrado em Medicina. O projecto, apresentado hoje, está estruturado para a frequência de 60 alunos por ano, envolve três grandes hospitais públicos e o maior hospital privado da Península Ibérica, o qual está integrado na rede pública da Galiza. Um projecto “inovador” que, para as duas instituições, deverá ser aprovado pela tutela.
Num momento em que se continua a assistir ao sucessivo ingresso de estudantes portugueses em instituições estrangeiras para obtenção da licenciatura em Medicina, a CESPU e a UTAD uniram-se para propor a criação de um novo Mestrado Integrado em Medicina em Portugal, adoptando um modelo inédito no nosso país: uma parceria público-privada na área do ensino. “Não estamos aqui a pedir uma nova Faculdade de Medicina. Queremos, apenas, que se autorize a atribuição de um novo curso, o Mestrado Integrado em Medicina”, defendeu hoje o presidente do Grupo CESPU, António Almeida Dias. Os recursos humanos e as infra-estruturas para o ensino e investigação estão, assim, asseguradas nos campus universitários de Gandra (onde está localizado uma das instituições de ensino da CESPU) e de Vila Real (UTAD). “Não vai ser necessário investir em recursos humanos e em infra-estruturas porque elas já existem”, sublinhou António Almeida Dias.
Por outro lado, o projecto para atribuição do Mestrado Integrado em Medicina contempla ainda diversos estabelecimentos da CESPU – Serviços de Saúde, bem como unidades hospitalares, como o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Unidade Local de Saúde de Matosinhos, o Centro Hospitalar do Tâmega e do Vale do Sousa e o Hospital POVISA, em Vigo. Todos com experiência em ensino médico pré e pós-graduado, sendo este último o maior hospital privado da Península Ibérica.

 

 


PROJECTO PRETENDE INOVAR E VALORIZAR REGIÕES SUB-DESENVOLVIDAS
Um dos argumentos do projecto CESPU/UTAD prende-se com o actual cenário que se vive em termos da Licenciatura em Medicina. “Queremos contribuir para a diminuição do ingresso de estudantes portugueses em instituições além-fronteiras, bem como para a redução do número de médicos estrangeiros em Portugal, actualmente cerca de 4500 profissionais” Este projecto prevê, como consequência directa, a fixação de quadros médicos altamente diferenciados nas Regiões de Trás-os-Montes e Alto Douro e do Tâmega e Sousa”., referiu António Almeida Dias, acrescentando:
O Vale do Douro é um eixo dorsal comum para o desenvolvimento do território diversificado da euro-região Norte de Portugal e Castela Leão. Entre estas duas regiões situa-se o espaço mais periférico e subdesenvolvido (Trás-os-Montes, Douro, Salamanca e Zamora), em torno do qual “é crucial delinear e arquitectar estratégias de integração, de valorização de recursos humanos e de desenvolvimento sustentável”, defendeu, por seu turno, o reitor da UTAD, Armando Mascarenhas Ferreira.
A Inovação é uma das mais-valias desta candidatura público-privada. A parceria entre a CESPU e a UTAD garante a concentração de meios de resposta às necessidades do sistema de inovação no Norte Interior, quer no que se refere à oferta de formação universitária, quer no respeitante à prestação de serviços científicos e tecnologicamente diferenciados na área da Saúde. Por isso, as duas instituições estão convencidas do sucesso deste projecto.
CESPU JÁ GARANTE FORMAÇÃO MÉDICA PÓS-GRADUADA
É a maior cooperativa de Ensino na área das Ciências e Tecnologias da Saúde em Portugal, com 26 licenciaturas, nove cursos de pós-licenciaturas conferentes de especialidade, dois mestrados integrados e 22 mestrados. A CESPU tem sido uma das instituições do Ensino Superior a lutar pela existência de um Curso de Medicina no sector privado.
A CESPU apresenta já uma experiência na formação médica pós-graduada, reforçada recentemente com a contratualização, por parte da Administração Regional de Saúde (ARS) Norte, de cursos na área das Emergências Médicas/Suporte Avançado de vida. Paralelamente, está a desenvolver a rede Nova Saúde que integra Unidades Hospitalares, Unidades Clínicas, Unidades de Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica, Unidades de Geriatria, Saúde e Lazer, Unidades em parceria com o SNS.
Um dos projectos em curso do Grupo CESPU, apresentado no início do ano, é a criação de um Cluster de Saúde de Bragança, um projecto que contempla a construção de um hospital particular, a Escola Superior de Saúde e Gestão, uma Residencial Erasmus e uma Unidade de Cuidados Continuados.
Esta também não é a primeira vez que a UTAD apresenta um projecto para a criação de uma Licenciatura em Medicina. Já em 1998, a Universidade elaborou uma candidatura que permitiu, agora, perspectivar as estratégias conducentes a um currículo médico inovador: oferta educativa, investigação e investimentos direccionados para a área da Saúde.