Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

Rota do Românico na I Feira de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa

A Rota do Românico vai estar presente na I Foire International de Gastronomie & Vins de la Région du Tâmega et Sousa – I Feira de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa, que decorre, de 12 a 14 de junho, no centro de exposições LUXEXPO – Exhibition & Congress Center, na capital do Luxemburgo.

Promovida pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS), esta feira pretende ser uma montra do território, dando a conhecer, aos luxemburgueses e à comunidade portuguesa a residir no Luxemburgo, o que de melhor a região do Tâmega e Sousa tem para oferecer ao nível do turismo, da gastronomia, dos vinhos, entre outros.

Sendo a Rota do Românico uma marca desta região e sendo constituída pelos municípios que integram a CIM-TS – Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende – aos quais se junta, ainda, o concelho de Paredes, este projeto não poderia deixar de se associar à cerca de uma centena de expositores da região que vão participar nesta I Foire International de Gastronomie & Vins de la Région du Tâmega et Sousa – I Feira de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa.


Horário
12 de junho (sexta-feira): 15h00-20h00 (inauguração oficial: 17h00)
13 de junho (sábado): 13h00-23h00 (transmissão do programa da RTP “Aqui Portugal”: 14h00-20h00)
14 de junho (domingo): 13h00-17h00

Local
LUXEXPO – Exhibition & Congress Center
10 Circuit de la Foire Internationale
L-1347 Luxembourg-Kirchberg


Cláudia Costa
Dinamização Turística e Cultural
Planeamento e Comunicação

CIM DO TAMEGA E SOUSA ANUNCIOU REDE DE APOIO EMPRESAIRIAL E PROMOVEU LANÇAMENTO DO “PRÉMIO EMPREENDEDOR”

Foto dos autarcas e entidades .jpg

· Assinados protocolos com 23 parceiros estratégicos e balcões de apoio nos 11 Municípios

 

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Gonçalo Rocha, anunciou ontem em Penafiel, durante a cerimonia oficial de lançamento da “ Rede de apoio à actividade económica e empreendedorismo na região do Tâmega e Sousa “, e apresentação do “ Prémio Tâmega e Sousa Empreendedor “, uma iniciativa orientada para a perspectiva de promover o planeamento e a gestão estratégica de desenvolvimento económico, social e ambiental do território, que a região vai dispor de meios financeiros para apoiar o turismo e projectos lançados por jovens licenciados.

"Os jovens saem das universidades e têm ideias, mas muitas vezes falta-lhes o apoio, por isso este projecto que agora apresentamos, poderá ajudar a alavancar essas ideias", destacou Gonçalo Rocha, na intervenção de abertura, falando a propósito da rede de apoio empresarial que vai congregar os 11 municípios, 12 associações empresariais da região e diversas entidades e instituições.
Para o edil de Castelo de Paiva, a componente do turismo terá de ser uma área importante neste projecto, porque a região precisa de progredir mais nesse domínio, destacando que a região do Tâmega e Sousa tem potencialidades únicas, que devem ser valorizadas e são capazes de gerar bons resultados no turismo.
“ Esta rede vai dar um apoio de qualidade a todos os empresários que passam a usufruir de uma informação completa sobre projectos inovadores e o empreendedorismo será a área com mais potencial no futuro e quem souber fazer diferente e com mais qualidade terá sucesso “ referiu o autarca de Castelo de Paiva, realçando que a CIM do Tâmega e Sousa pretende colocar em prática um esforço colectivo, no sentido de se avançar para uma nova realidade sócio - económica, competitiva e aberta ao mundo, sustentada no seu modelo de desenvolvimento, conhecimento e inovação, capital humano qualificado e um forte espírito empreendedor.
O projecto ontem apresentado na sede da CIM está orçado em 400.000 euros, apoiados por fundos comunitários, sendo que os municípios envolvidos comparticipam com 80.000 euros e os protocolos de cooperação assinados envolvem municípios, associações empresariais da região, universidades e várias entidades empresariais de formação e emprego, sendo que esta Rede de Apoio Empresarial vai dar apoio ao tecido económico do território, com balcões de atendimento em todos os concelhos.
" É um projecto importante para dinamizar o empreendedorismo da nossa região e vai ao encontro de um sentimento dos empresários " referiu Gonçalo Rocha, evidenciando depois o interesse desta acção, destacando que a Rede de Apoio vai disponibilizar um conjunto de serviços físicos e plataforma on-line de apoio ao empreendedorismo, bem como candidaturas ao Prémio Tâmega e Sousa Empreendedor, a decorrer nos próximos meses.
Queremos que os nossos empresários saiam do balcão com uma solução para o seu problema", vincou Gonçalo Rocha, dizendo acreditar que o projecto vai " lançar as bases de apoio para o próximo quadro comunitário, daí estarmos agora a dar um sinal claro de iniciativa, de inovação e criatividade “, aos mesmo tempo que considerou que o prémio " Tâmega e Sousa Empreendedor - Onde as ideias se concretizam ", agora oficializado, pretende dar visibilidade à rede de apoio empresarial e também estimular o empreendedorismo na região,
A partir de hoje, os balcões de apoio ao empreendedor estão presentes nos 11 Municípios que integram a CIM e lá estarão também técnicos habilitados para prestar a melhor informação para quem tem vontade de concretizar as suas ideias, com destaque que o suporte de “ back office “ garantido pelas instituições de ensino parceiras e pelo Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa é considerado absolutamente fundamental para o êxito desta iniciativa
Depois da recepção aos participantes, a abertura do programa constou de uma intervenção do presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Gonçalo Rocha, da apresentação da rede e do prémio “ Tâmega e Sousa Empreendedor “ através do Secretário Executivo da CIM, Alírio Costa, da apresentação do projecto vencedor do Prémio Jovem Empreendedor 2014 da ANJE, com a investigadora paivense Paula Melo e, já parte final da iniciativa, da Assinatura do Protocolo de Cooperação da Rede Tâmega e Sousa Empreendedor, sendo o encerramento desta cerimonia protagonizado pelo Vice -Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, Carlos Neves.

Recorde-se que a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa é composta pelos municípios de Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Penafiel e Resende, sendo uma das regiões mais jovens do país, com cerca de 500.000 habitantes e uma área correspondente a 8,6% da Zona Norte, apresentando um tecido empresarial dominado por micro, pequenas e médias empresas, destacando-se os sectores têxtil, calçado, mobiliário, metalomecânica, extracção e transformação de pedra e produção de vinho verde.

Carlos Oliveira

Gabinete de Imprensa e Relações Públicas

 

CHTS gere Unidade de Convalescença de Celorico de Basto

 

Estrutura está integrada na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados

 

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) assumiu, no início do ano, a gestão da Unidade de Convalescença Dr. João Bastos, em Celorico de Basto. A unidade, que integra a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, tem uma lotação de 19 lugares e destina-se a todas as pessoas que, após internamento, necessitem de cuidados médicos e de enfermagem e que tenham potencial de recuperação no prazo de um mês.

Com uma equipa multidisciplinar constituída por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e fisiatras, nutricionistas, assistentes sociais, terapeutas da fala, psicólogos, pessoal administrativo e operacional, a unidade está especialmente vocacionada para a reabilitação pós acidente vascular cerebral ou enfarte agudo de miocárdio, bem como na recuperação de fracturas.

“O internamento não deve exceder os 30 dias e destina-se à preparação para a reintegração na vida activa, à recuperação de movimentos, ao retomar do quotidiano de uma forma mais ou menos autónoma”, explica João Lobo, director clínico da unidade.