Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vale do Sousa em Destaque

Castelo de Paiva - Felgueiras - Lousada - Paços de Ferreira - Paredes - Penafiel

1a Feira Internacional de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa no Luxemburgo

IMG_2346.JPG

Um êxito!
Afluência de público excedeu todas as expectativas!

Na sexta-feira, dia 12 de Junho, o dia começou cedo – a comitiva oficial começou o dia com uma receção na Câmara Municipal do Luxemburgo seguindo depois para residência oficial do Sr. Embaixador de Portugal no Luxemburgo, onde foi servido o almoço. Entretanto, os mais de 60 produtores da região do Tâmega e Sousa, na LuxExpo ultimavam os preparativos para garantir que às 15h tudo estivesse a postos para receber os primeiros visitantes da Feira. Procuravam a melhor forma de mostrar a excelência dos seus produtos. A experiência e conhecimento profundo do que levaram ao Luxemburgo para mostrar/vender, acelerou o processo e à hora marcada... Tudo pronto! Portas abertas!

O primeiro dia, como aliás tinha sido amplamente noticiado, foi dedicado a contactos com profissionais. Às 17h00 com a chegada do Sr. Ministro da Agricultura e Viticultura Luxemburguês, Mr. Fernand Etgen, e do Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar, Dr. Nuno Vieira e Brito, a 1a Feira Internacional de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa foi oficialmente inaugurada. Todos os stands foram visitados e tiveram a oportunidade de apresentar os seus produtos, recebendo os maiores elogios pela sua qualidade e excelência.

No final e na hora dos discursos o Presidente da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Dr. Gonçalo Rocha, teve oportunidade de expressar a enorme alegria e orgulho por se ter concretizado esta mostra que só foi possível graças ao envolvimento de todos os 11 municípios que integram a Comunidade. “Os municípios do Tâmega e Sousa cumprem assim uma função essencial – ajudar a projetar internacionalmente as empresas da região, com vista ao desenvolvimento da economia local e regional. Todos juntos conseguimos fazer uma Feira com esta dimensão e diversidade, que tanto nos orgulha agora aqui inaugurar, na presença de tão ilustres convidados.”

De seguida o Sr. Secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar sublinhou que iniciativas como esta, que fora de portas mostram o que de melhor temos, têm o enorme mérito de promover Portugal e ajudar a desenvolver cada vez mais o setor primário no nosso país.

As palavras finais ficaram para Mr. Fernand Etgen, Ministro da Agricultura e Viticultura luxemburguês, que se mostrou agradavelmente surpreendido pela diversidade e qualidade dos produtos que teve oportunidade de saborear na sua demorada visita à Feira - “ ao nível do que melhor existe na Europa ”. A cerimónia de inauguração terminou com uma prova de vinhos e um brinde ao sucesso da iniciativa.

O dia de abertura teve ainda um outro momento alto com o jantar temático “O melhor do Tâmega e Sousa”, servido a convidados e confecionado pela equipa de cozinheiros dirigida pelo Chef Marco Gomes.

Nos dias seguintes, sábado e domingo, foram milhares os visitantes!
No sábado a Feira abriu portas ao mundo, graças à transmissão em direto do programa Aqui Portugal. Sónia Araújo e Hélder Reis deram a conhecer a região e as suas maiores riquezas. E a

Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa pôde ver nos rostos de todos os que visitaram a Feira a recompensa por todo o esforço organizativo.

Mais de 60 produtores, perto de 200 pessoas deslocadas, toneladas de produtos transportadas. Valeu muito pena! Esgotaram os produtos – de referir que seguiram para o Luxemburgo dois camiões TIR -, estabeleceram-se contactos que garantem negócios futuros!

Enfim, um verdadeiro êxito a 1a Feira Internacional de Gastronomia e Vinhos do Tâmega e Sousa!

De como de uma ‘Elegante Melancolia’ se parte para ‘Dimas e Gestas’ e se acaba num ‘Alargamento da Rota’…

A entrada em março vai por certo significar uma maior mobilidade de curiosos presentes nos espetáculos que o programa do(s) Palcos do Românico propõe. A Primavera já espreita. Prevê-se assim um menor rigor na invernia que se tem vindo a fazer sentir e que de certa forma sempre inibe as saídas de casa para uma fruição cultural com os amigos e/ou a família.

 

Duas propostas, pode até dizer-se em abono da verdade que são três, marcam a programação do fim de semana que contempla os dias 15 e 16 março, sendo que a 14 se verifica, neste âmbito do(s) Palcos, uma estreia: “A Elegante Melancolia do Crepúsculo”, um espetáculo que interpela e transpõe as fronteiras entre o teatro e o cinema, baseado na obra de Charlie Chaplin. A obra tem a chancela de Luísa Pinto, a responsável artística pelo Cineteatro Constantino Nery, de Matosinhos, que assina a encenação e a conceção/dramaturgia ao nível do vídeo nesta obra. A dramaturgia está a cargo do chileno, há muito radicado em Portugal, Roberto Merino. A interpretação está a cargo de Isabel Carvalho, João Costa e Valdemar Santos. A peça será levada à cena na Casa das Artes de Felgueiras, na sexta-feira, dia 14, e no sábado, dia 15, com apresentações marcadas para as 21h00. Esta presença física dos atores a interagir com o universo virtual feito cenário, é mesmo um imperativo para quem gosta de teatro.

 

Da “Palmilheira”, ali para os lados de Águas Santas, à distância do passo de um anão da Invicta, apresentar-se-á em Cinfães, no sábado, dia 15, a companhia Teatro da Palmilha Dentada. “Dimas e Gestas – Um Musical para Crucificados” consagra aquele apanágio tão peculiar da ‘Palmilha’ que é falar de coisas sérias com um rasgado sentido de ironia, sátira e humor sábio. “No Gólgota, crucificados, Dimas, o bom ladrão, e Gestas, o mau, aguardam o futuro e, enquanto não chega, conversam sobre as suas vidas.” O texto e a encenação estão, como habitualmente, a cargo de Ricardo Alves, a interpretação incumbe a essa trupe de atores constituída pelo núcleo: Ivo Bastos, Nuno Preto e Rodrigo Santos. ‘A coisa’ promete e está marcada para as 21h00, no Auditório Municipal de Cinfães.

 

No dia 16 o programa reveste-se de algum carácter institucional, uma vez que é a data escolhida para celebrar uma efeméride, trata-se do 4º Aniversário do Alargamento da Rota do Românico. Sob o lema “58 monumentos, 12 municípios, 1 projeto supramunicipal: a Rota do Românico”, as comemorações terão lugar na Igreja de Santo Isidoro do Marco de Canaveses, com a atuação do grupo ANIMEA, a partir das 16h00. Tudo isto para celebrar o facto de “Em março de 2010 a Rota do Românico aceitou um dos maiores desafios institucionais e estendeu o seu território aos municípios de Amarante, Baião, Celorico de Basto, Cinfães, Marco de Canaveses e Resende. Mais que um desafio, este alargamento constituiu um marco histórico simbólico, (re)unindo num projeto supramunicipal um legado comum, separado apenas por fronteiras administrativas e institucionais”.

 

Lembrete para os dias 8/9 de Março

 

Tal como já foi referenciado na última nota, prossegue ainda a formação em teatro de sombras numa ação a cargo da Associação Limite Zero, que continua a promover as oficinas formativas. O resultado em formato de espetáculo tem lugar nos dias 8 (às 21h00) e 9 (às 16h00), no Centro de Interpretação da Cultura Local de Castelo de Paiva. “Lendas do Território” é um título que faz jus à Rota do Românico e contempla estórias que os formandos/participantes pretendem contar ao público através daquela técnica artística.

 

O Coro Gregoriano de Penafiel prossegue o seu trabalho na senda do envolvimento com as comunidades locais, nomeadamente com os coros das freguesias envolvidas no projeto. Tarouquela, em Cinfães, será o próximo palco no dia 7 de março, sábado, às 21h00; segue-se Barrô, em Resende, no dia 9 de março, domingo, às 16h00. Este processo de recuperação e audição do canto litúrgico com o qual se pretende avivar a memória dos cânticos em lugares de culto cristão assumiu a designação processual de “Gregoriano Desde Dentro”, a referida denominação corresponde também ao nome do evento. O projeto é liderado por Ana Marjorie Pérez.

 

Nunca é de mais de realçar que os Palcos do Românico consagram uma realização anual de eventos culturais que consubstanciam linguagens artísticas como a dança, teatro, música, workshops e exposições que decorrem num território afeto a 12 municípios, a saber: Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Fel­gueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende. Estes são os concelhos que integram a Rota do Românico, sinónimo de 520 mil pessoas a habitarem uma vasta área, ou seja, o universo direto de espectadores da iniciativa.

 

Os 50 agentes culturais envolvidos e os 200 eventos que dão expressão ao(s) Palcos do Românico traduzem-se, para já, num (re)conhecimento e notoriedade paulatinos, que em crescendo, e por conseguinte num processo evolutivo, se vão insinuando aqui e ali aos olhos e ouvidos de alguns interessados e a muitos outros, que mau grado os rigores climáticos, se têm vindo a deslocar até aos monumentos e equipamentos culturais onde os espetáculos decorrem.

 

Para mais informações sobre os espetáculos, como fichas técnicas, conceitos e sinopses, é só clicar em: http://www.rotadoromanico.com/vPT/Paginas/Homepage.aspx

 

Os espetáculos que integram o programa cultural “Palcos do Românico”, promovido pela Rota do Românico, são cofinanciados pelo ON. 2 – O Novo Norte e QREN, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Rota do Românico

6 de Março 2014

www.rotadoromanico.com